Número total de visualizações de página

28 de abril de 2012

Dança

Ilustração de Christiane Vleugels


Quem como eu em silêncio tece
Bailados, jardins e harmonias?
Quem como eu se perde e se dispersa
Nas coisas e nos dias?



Como uma flor incerta entre os teus dedos
Há harmonia de um bailar sem fim,
 E tens o silêncio indizível dum jardim
Invadido de luar e de segredos.



Sophia de Mello Breyner Andresen, in Obra Poética I

Sem comentários:

Enviar um comentário