Número total de visualizações de página

13 de março de 2014

Brotavam flores

 
Ilustração de Lucy Campbell
 
O problema era que a chuva desarranjava tudo e nas máquinas mais áridas brotavam flores entre as engrenagens se não fossem oleadas todos os três dias, enferrujavam os fios dos brocados e nasciam algas de açafrão na roupa molhada. A atmosfera era tão húmida que os peixes teriam podido entrar pelas portas e sair pelas janelas, navegando pelo ar das divisões da casa.

Gabriel García Márquez, in Cem anos de solidão, D. Quixote, 2009, 26ªed., p. 320

Sem comentários:

Enviar um comentário