Número total de visualizações de página

1 de abril de 2012

Noite fechada

André Carrilho, Lisboa que amanhece
Lembras-te tu do sábado passado,
Do passeio que demos, devagar,
Entre um saudoso gás amarelado
E as carícias leitosas do luar?

Bem me lembro das altas ruazinhas,
Que ambos nós percorremos de mãos dadas:
Às janelas palravam as vizinhas;
Tinham lívidas luzes as fachadas.

Não me esqueço das coisas que disseste
(...)

Cesário Verde

Sem comentários:

Enviar um comentário